ideias

As refeições merecem análise atenta. \”Ao deixar de consumir algumas vitaminas e minerais, a pessoa fica predisposta a alterações metabólicas e até diminuição de massa muscular\”, adverte a nutricionista Thais Arthur, do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo. \”Se ele eliminou 5 quilos ou de 5 a 10% de seu peso total em seis meses sem motivo aparente, vale procurar um médico\”, sugere Lilian.

Se a pessoa sempre foi magra, só é para se preocupar quando o índice de massa corpórea, o IMC, é menor que 17. Nesse parâmetro, um homem de 1,70 metro de altura, por exemplo, precisaria ter 50 quilos ou menos para ser considerado abaixo do normal. A questão é: quando está tudo bem com a saúde e o objetivo é mesmo ganhar, digamos, mais recheio no corpo, haja disciplina. Engordar é mais difícil que emagrecer. E o foco da batalha deve ser aumentar a massa magra, ou seja, os músculos.

\”O principal erro é simplesmente começar a comer porções generosas de alimentos com gordura e açúcar, que, além de pobres em nutrientes, estão vinculados ao surgimento de diabete e colesterol elevado nas artérias\”, alerta a nutróloga Vivian Sued, da Associação Brasileira de Nutrologia. Daí, é um pulo para o surgimento de um falso magro. Ou seja, um indivíduo que aparentemente não é gordo, mas apresenta altos índices de tecido adiposo entre os órgãos e corre maior risco de ser acometido por um infarto ou um derrame.